Bem Aventurada Helena Guerra

11 de Abril

Fundou a Congregação Obreiras do Espírito Santo

Helena Guerra nasceu em Luca, Itália, em 23 de junho de 1835. Extremamente estudiosa, aprendeu em casa italiano, francês, latim, música e pintura. Aos dezenove anos, foi trabalhar como enfermeira entre os doentes de cólera e, aos vinte e dois anos, contraiu uma doença que a prendeu ao leito por quase oito anos. Nessa época, passou a estudar os Padres da Igreja, ou seja, os grandes teólogos e santos que contribuíram para o desenvolvimento da doutrina da Igreja católica. Mesmo debilitada, criou um grupo de “amizade espiritual” entre seus visitantes, projetando uma forma de vida contemplativa.

Em 1870, assistiu a uma das sessões do Concílio Vaticano I e voltou para Luca, criando, ali, uma comunidade feminina, dedicada a santa Zita, de vida muito ativa e voltada à educação dos jovens. Em sua comunidade, não haviam votos, era constituída de voluntárias do ramo da educação. Helena dirigia todos por meio de seus escritos, pequenos livros que ela preparava para orientar e aprofundar a fé cristã. Nessa comunidade, foi acolhida, por um certo tempo, durante o qual fez a sua primeira eucaristia, a futura santa Gema Galgani, em 1887. Mais tarde, o instituto foi reconhecido pela Igreja como uma congregação religiosa, tornando Helena sua fundadora.

Helena decidiu, então, adotar uma missão para a sua nova congregação. Durante muitos anos, havia pensado nisso e agora decidiu colocar em prática o seu desejo de conduzir os fiéis para o conhecimento e para o amor ao Espírito Santo, o Espírito da verdade plena.

Helena escreveu ao papa Leão XIII, e pediu fervorosamente para um “retorno ao Espírito”, que, no século seguinte, foi vivamente anunciado e celebrado pela Igreja. Três documentos pontificais, entre 1895 e 1902, convidaram todo o mundo católico a refletir sobre o tema. O papa Leão XIII deu às irmãs de Helena o nome de “Obreiras do Espírito Santo”, como um claro sinal de seu apoio a essa missão.

Se sua mensagem foi entendida em Roma, o mesmo não aconteceu em Luca, na sua própria casa. As irmãs se mostraram contra Helena e contra suas idéias, retirando-a da direção da congregação, causando-lhe muita humilhação. Entretanto, Helena não reagiu. Confortada pelas companheiras ainda fiéis, ela manteve em seu coração o exemplo de amor que sempre soube oferecer.

No dia 11 de abril de 1914, um Sábado Santo, depois de receber o hábito de Obreira do Espírito Santo, Helena Guerra faleceu. Seu corpo foi sepultado em Luca, na igreja de Santo Agostinho. Em 1959, o papa João XXIII proclamou-a beata e autorizou o seu culto a ser celebrado no dia de seu trânsito.

Deixe um comentário